Portal JNMT
Portal JNMT
ARTIGO

Um deputado camaleônico ou algo pior

Data: Segunda-feira, 06/06/2016 00:00
Autor(a): Edésio Adorno
Sobre Autor(a): É advogado militante em Mato Grosso, mora em Tangará da Serra

O deputado federal Valtenir Pereira (PMDB) é um espécime raro de víbora no serpentário político de Mato Grosso. Dotado de poderes de mimetismo, o animal consegue se transformar em Dragão de Komodo ou em simples camaleão. Na primeira hipótese, abate suas presas com ajuda das toxinas da boca; na segunda, se camufla contra predadores. É um indivíduo mimetista. Está sempre adaptado ao meio.

 

Assim como as víboras trocam de escama, ele muda de partido ao calor de suas conveniências e idiossincrasias. É expert em sobrevivência!

 

A última de Valtenir foi se transformar em laranja de si mesmo. Na condição de candidato cítrico, o homem que estreou na política em cima da ossada do próprio pai, mesmo não tendo a menor chance de êxito, pretende disputar a Prefeitura de Cuiabá. Ele sabe que vai perder e da derrota sonha extrair oxigênio para potencializar seu unipessoal projeto de sobrevivência política.

 

“Quem perde também ganha”. Valtenir Pereira acredita nessa besteira fraseológica de Marina Silva e espera turbinar sua reeleição à Câmara Federal ao participar do pleito de outubro próximo. Palanque eleitoral, programas de rádio, televisão, debates eleitorais, arregimentação de militância paga. Eis a grande oportunidade para discursar, falar e tentar justifica a injustificável atuação nanica e os fiascos políticos dos últimos tempos.

 

Valtenir se considera uma raposa astuta, ardilosa e capaz de dar a volta por cima. A depender de seu caráter, tudo é possível. Aliás, caráter e escrúpulos nunca foi o forte desse deputado que se notabilizou pela traficância de emendas parlamentares, segundo seus adversários. Não existem limites e nem barreiras morais que impeçam Valtenir de dar sempre um passo a mais rumo ao exemplo a não ser seguido na política. E ele não se envergonha com a própria falta de vergonha!

 

Rotular Valtenir Pereira de maquiavélico seria mais uma ofensa a Nicolau Maquiavel que apenas pretendia a pacificação e união de seu povo. Ao contrário do autor de o Príncipe, Valtenir depende da ignorância social do povo como do oxigênio que respira ou da viabilização de emendas no orçamento da União para sobreviver na política e da política.

 

O mandato parlamentar exercido por Valtenir Pereira obedece a lógica da simbiose entre clientelismo/paternalismo e se sustenta na viabilização de emendas no orçamento da União, visitas periódicas às bases e indicação de “clientes” para cargos na administração pública.

 

Receio que Valtenir seja leitor assíduo e compulsivo dos “Protocolos dos Sábios de Sião”, o manual perfeito dos vigaristas e dos que pretendem chegar a política e nela se manter sem o óbice de uma escala de valores éticos, morais, teológicos, sociais e filosóficos. Se os meios justificam os fins, Valtenir é o exemplo do político que desenhou a atual situação que vivemos. Que tristeza!

 

 

PUBLICIDADE