Portal JNMT
Portal JNMT
ARTIGO

Feedback é o princípio; feedforward, o fim!

Data: Quinta-feira, 09/03/2017 00:00
Autor(a): Luiz Vicente Dorileo da Silva (Shipu)
Sobre Autor(a): É palestrante e consultor

A essência do feedback ou devolutiva é uma ferramenta para incentivar, corrigir e melhorar o desempenho do colaborador. É o ato de você comunicar pontos específicos do trabalho de uma pessoa, tanto positivo quanto negativo, com o objetivo de ajudá-la. Porém, muitos líderes a utilizam apenas com uma ferramenta de correção.

 

Muitos autores atualmente defendem que é importante é não apenas avaliar o que já foi feito, como também ajudar a montar um plano de ação para que haja a melhoria contínua. Surgiu então um novo termo o Feedforward, que é o "olhar para a frente", é buscar otimizar os potenciais de cada profissional e, dessa forma, monitorar o processo de desenvolvimento para o futuro. Podemos mudar o futuro, não o passado. E "pensar" o futuro é construir um caminho de soluções.

 

Independente de qual termo utilizar segue oito dicas para utilizar de maneira produtiva essas ferramentas:

 

1 - Dê feedback continuamente de maneira positiva e construtiva. Lembre-se da regra do três para hum. Ambientes positivos têm em média três elogios ou comentários positivos para uma crítica ou comentário negativo. Na maioria das vezes só damos feedback negativo. Sempre é para apontar erro, defeito e criticar. O feedback negativo só funciona se você tiver o hábito de dar feedback positivo frequentemente. Mesmo que seja um assunto negativo, como por exemplo falar de uma meta não atingida ou de chegar atrasado em reuniões, a conotação da conversa de feedback deve ser positiva. A postura do líder deve ser a de “estou aqui, para trabalharmos por melhores resultados”.

 

2 - Seja rápido. Se você vai chamar a atenção do colaborador para algum assunto específico, você não pode esperar semanas ou meses para falar, pois aí o ocorrido já nem terá mais importância. E ser rápido não significa interromper a pessoa no exato momento em que ela esteja fazendo algo que não agrada, porque isso cria imediatamente um ambiente negativo. Evitar fazer na frente do cliente, mas, nunca deixar passar.

 

3 - Seja regular. A reunião de feedback não pode acontecer uma vez por ano. Crie essa rotina de feedback e as pessoas passarão a entender como algo não apenas normal, mas necessário para o próprio desenvolvimento delas. A maior parte das pessoas não tem ideia de como estão indo profissionalmente.

 

4 - Direcione o foco. Fale de uma situação, uma atividade ou de um resultado que foi muito bom ou que não foi muito bom. O foco não é a pessoa. Por exemplo, você não deve dizer a um vendedor: “você não está vendendo bem”. Melhor você dizer: “os seus resultados não estão de acordo com o que a empresa espera ou com os objetivos que traçamos”.

 

5 - Seja específico e exija que o outro também o seja. Diga exatamente o que você espera do colaborador e peça que ele também seja específico ao expor as dúvidas, as dificuldades e o plano de ação para melhoria. Concentre-se nos procedimentos específicos que precisam de melhoria.

 

6 - Seja imparcial. Não dê feedback quando tiver irritado.

 

7 - Feedback positivos, como um elogio, podem ser feito publicamente. A pessoa se sente valorizada. Já os de feedbacks negativos de coisas a melhorar sempre deve ser individualmente e em particular. Um comentário certo, por mais produtivo que seja, feito em um lugar errado destroi a energia do grupo todo e é muito difícil de recuperar depois.

 

8 - Uma excelente forma de você terminar a conversa de feedback é pedir feedback do seu feedback. Peça ainda uma sugestão para que o encontro de vocês seja melhorado. Isso demonstra humildade e dá o exemplo de que conversas francas e abertas são necessárias para o desenvolvimento de qualquer profissional, inclusive do líder.

 

PUBLICIDADE