segunda, 25 de maio de 2020

NOTÍCIAS

Data: Quinta-feira, 26 de março de 2020     Fonte: Por G1 MT e TV Centro América

Prefeito de Tangará da Serra (MT) anuncia reabertura parcial do comércio

No último fim de semana o prefeito havia decretado situação de emergência devido ao risco de contágio do novo coronavírus.
Reprodução

O prefeito de Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, Fábio Junqueira (MDB), anunciou, nesta quinta-feira (26), a reabertura parcial do comércio para alguns segmentos.

Entre os estabelecimentos autorizados para a reabertura, estão as oficinas mecânicas, funilarias, lojas de auto peças, lava a jatos, borracharias, lojas de materiais de construção e materiais elétricos, marcenarias, serralherias, vidraçarias, escritórios de profissionais liberais, salões de beleza e barbearias.

Os restaurantes e lanchonetes que ficam às margens das rodovias estaduais, dentro do território do município, também podem voltar a funcionar normalmente a partir de desta quinta-feira.

Já para os que estão dentro da cidade continua valendo o serviço de entregas (delivery) ou retirada no local.

Conforme o decreto, todos os estabelecimentos vão ter que controlar a entrada das pessoas para que não fiquem aglomeradas. Os comércios também terão que disponibilizar álcool em gel para os clientes e o tapete da porta de entrada deverá ser molhado com uma solução de água sanitária ou cloro para fazer a desinfecção dos sapatos dos clientes e funcionários.

No último fim de semana o prefeito havia decretado situação de emergência devido ao risco de contágio do novo coronavírus.

Entre as medidas do decreto, estava a proibição da circulação de pessoas nas ruas a partir das 20h. Durante o dia a prefeitura afirmou que só seria permitida a circulação em caso de necessidade.

 

No sábado (21), em Tangará da Serra, três barreiras sanitárias foram estabelecidas após o decreto de situação de emergência ser publicado na cidade.

 

Decreto estadual

 

Nesta quinta-feira (26), o governador Mauro Mendes (DEM) também anunciou a volta do funcionamento do comércio no estado para que a economia não seja prejudicada.

Mendes afirmou que as empresas precisam continuar funcionando para garantir os empregos e movimentar a economia.

De acordo com o governador, caso os prefeitos queiram adotar ações mais restritivas, terão que apresentar “fundamentação técnico-científica que justifique a providência no âmbito local”.