domingo, 24 de janeiro de 2021

NOTÍCIAS

Data: Quinta-feira, 14 de janeiro de 2021     Fonte: Da EFE

Equipe da OMS chega a Wuhan para investigar origem da covid-19

Principal objetivo da missão é encontrar animal que causou pandemia e como a doença é transmitida para humanos
Reprodução

A equipe de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) encarregada de investigar as origens do coronavírus chegou nesta quinta-feira (14) à cidade de Wuhan, na China.

Imagens veiculadas pela emissora estatal CGTN mostraram a chegada da equipe ao aeroporto da cidade e sua recepção por funcionários vestidos com trajes de proteção brancos.

 

A equipe deve seguir o protocolo de prevenção contra a covid-19 no país asiático e manter a quarentena durante 14 dias antes de iniciar suas investigações no local, acrescentaram hoje vários meios de comunicação oficiais da China.

A missão, "uma prioridade" da OMS, é formada por cientistas de várias organizações internacionais dos Estados Unidos, Japão, Rússia, Reino Unido, Holanda, Dinamarca, Austrália, Vietnã, Alemanha e Catar.

A chegada da equipe causou polêmica nas últimas semanas, depois que o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, ter dito que estava "muito desapontado" com os obstáculos que Pequim estava colocando na missão, embora as autoridades chinesas negassem que tivessem feito qualquer impedimento.

O objetivo é encontrar a possível origem animal do SARS-CoV-2 e seus canais de transmissão para humanos; embora a teoria inicial seja de que se espalhou por um mercado de produtos frescos e animais em Wuhan, a imprensa oficial chinesa promoveu nos últimos meses uma narrativa alternativa, onde assegura que esse surto pode ser devido a alimentos congelados provenientes de outros países.

Nesse sentido, a agência estatal Xinhua se apressou hoje em defender a "boa vontade" do país em relação a esta viagem: "A China apoia uma investigação científica e baseada em fatos", disse a mídia em editorial publicado nesta quinta.

Embora especialistas da OMS já tenham visitado a China para esse fim em fevereiro e julho do ano passado - sem muitos detalhes serem revelados - a organização desta missão foi atrasada por meses e tem sido cercada de sigilo, tanto por parte da OMS quanto das autoridades chinesas.