domingo, 13 de junho de 2021

NOTÍCIAS

Data: Domingo, 02 de maio de 2021     Fonte: Folha Max

Mulher morre após picada de jararaca em comunidade rural de MT

Ela chegou a receber o soro antiofídico, mas seu estado se agravou e evoluiu para óbito
Reprodução

Uma mulher de 29 anos, moradora do município de Vila Rica (1.259 km de Cuiabá), morreu em decorrência de uma picada de cobra. A vítima é Franciele Bergamin, que morava na zona rural da Cidade, numa localidade conhecida como Projeto Caxangá.

Segundo informações do site Araguaia Notícias, o fato foi registrado na última quarta-feira (28) de abril e a vítima morreu dois dias depois. A mulher foi picada por uma cobra da espécie jararaca enquanto estava em sua própria residência. 

Ela foi atacada pelo animal peçonhento na região do antebraço direito. Franciele foi levada ao Hospital Municipal de Vila Rica onde recebeu o soro antiofídico, mas devido ao seu grave estado de saúde, teve de ser transferida para o Hospital Regional Paulo Alemão, no município de Água Boa (730 km de Cuiabá), morreu na última sexta-feira (30).

Uma funcionária da unidade comentou numa publicação de uma familiar de Franciele e disse que todos do hospital ficaram tristes com a situação. "Que Deus ajude essa familia. É um momento muito difícil. Entristeceu a equipe inteira aqui no hospital de Água Boa", escreveu a técnica em radiologia. 

Conforme informações do Ministério da Saúde, o envenenamento ocorre quando a serpente consegue injetar o conteúdo de suas glândulas venenosas na pessoa ou animal que ela pica. No acidente por jararaca, a região da picada apresenta dor e inchaço, às vezes com manchas arroxeadas e sangramento pelos pontos da picada, além de sangramentos em gengivas, pele e urina. Pode haver complicações como infecção e necrose na região da picada e insuficiência renal. 

Dentre as dicas de prevenção para evitar acidentes com esse tipo de animal estão: não andar descalço,  usar luvas de couro nas atividades rurais e de jardinagem. E também nunca colocar as mãos em tocas ou buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros, entre espaços situados em montes de lenha ou entre pedras.